Protestar ou não protestar … é realmente este o dilema?

* Peso desculpas se as minhas informações não estão completamente certas, este texto é somente uma opinião pessoal

A maioria de vocês devem ter lido, visto ou ouvido falar sobre os protestos no Brasil. Estar em Campinas,  cidade localizada a 1 hora (aprox.) de São Paulo, enquanto tudo isso está acontecendo, tem sido uma experiência muito interessante, que, de certa forma, reforça alguns dos meus sentimentos anteriores sobre o movimento Occupy, que agora não é tão popular como era há um ano.

Tudo começou com uma reivindicação simples. O Movimento organizado chamado “Passe Livre” – MPL, começou a se queixar dos altos preços do transporte público, que estava prestes a sofrer mais um aumento. Um pequeno grupo começou a protestar e as reações agressivas da polícia e os artigos negativos publicados pela mídia, foram, na minha opinião, algumas das causas do grande incêndio que veio depois. Sigue leyendo

Anuncios

Frustração como motivação: Conversando sobre Cultura Digital no Brasil

Sair fora da nossa zona de conforto é assustador. Estamos tão acostumados com nossas rotinas e hábitos, ou pensamos que estamos tendo um momento tão bom do jeito que somos, que qualquer coisa que nos desafia ou ameaça de alterar qualquer de nossas atividades, nos expor ao desconhecido, que poderia ser para melhor ou pior. Isto é ainda mais difícil de enfrentar quando a mudança não implica apenas uma mudança de atividades, mas uma mudança de paradigma, uma transformação na nossa maneira de pensar e entender as coisas.

Parece-me que este era o sentimento sublinhado durante os debates que ocorreram na Segunda Semana de Cultura Digital* em Campinas. O tema da semana deste ano foi: “A Internet pode subverter a ordem?”, o que provocou em cada um dos participantes, a reflexão sobre a nossa ordem atual e que mudanças, se for o caso, a Internet está causando. A maioria dos participantes concordou que SIM, Internet está mudando o campo de jogo, mas, que tipo de mudança é esta, é bom ou ruim, foi muito disputada. Esta divergência foi o que causou a maior parte do desconforto. Visão de mundo, objetivos, crenças pessoais e realidades, fez todo mundo entender a questão de forma diferente. Por exemplo, era possível ver como alguns estavam muito focados em software, Sigue leyendo

Ser responsável… superar o impulso da moda?

Meus queridos leitores,

A minha nota hoje tem um caráter pessoal. Vem de um desejo de pedir desculpas aos leitores e a mim mesmo, por ter deixado este blog sem atenção por tanto tempo. Mais de uma vez eu tenho rejeitado convites para abrir contas em novas mídias sociais, justamente porque ao refletir, concluo que não tenho a necessidade ou o tempo necessário para ter algum proveito do uso destas ferramentas. Com isto eu gostaria de dizer que mesmo sendo muito atrativo usar uma mídia que todos usas e comentam, eu prefiro usar aquelas que me trazem algum beneficio pessoal. Estes benefícios podem ser: entretenimento (ver vídeos, escutar música), laborais (divulgar meu Curriculo), sentimentais (compartilhar fotos e mensagens com família e amigos), ou outros. Mais criar novos perfis só para ficar na moda, não vai comigo, e prefiro usar meu tempo de outras maneiras.

Sigue leyendo

Juntos podemos mucho más!

(versão em português abaixo)

Más de una vez me he preguntado si todo lo que hago es para bien. El mundo es tan complejo, que es difícil entender cada una de las relaciones que ocurren. La ley de Newton que dice que “con toda acción ocurre siempre una reacción igual y contraria”, se aplica también en nuestra vida diaria, por ello, deberíamos también recordarla cuando planeamos un proyecto.

Mínimos hechos pueden desencadenar varias reacciones, que influenciaran el resultado final. Por eso trabajar con desarrollo es un desafío. Solo aquellas acciones que personalmente ejecutamos, son aquellas en la cuales tenemos un porcentaje de control. Sigue leyendo

Que es TICs para Desarrollo para mi

(versão em português embaixo)

Recientemente escuche a una muy interesante mujer de Bangladesh decir, durante una conferencia (ICTD 2012 Atlanta) sobre TICs para Desarrollo, ICT4D es su sigla en inglés, que en su país no se escucha hablar sobre ICT4D, pero que por ser un país en desarrollo, los proyectos que tanto ella como otros están ejecutando, son para mejorar la condición de vida de su entorno y por tanto SON PARA DESARROLLO.

La comunidad de habla inglesa ha cuñado el término ICT4D durante los últimos 10 años (aprox.), y han creado una comunidad alrededor del mismo que crece día a día. Académicos, practicantes, donantes y otros, se juntan en la conferencia mencionada para discutir experiencias y como mejorar sus investigaciones, proyectos e ideas. Pero esta no es la única conferencia, hay muchas otras actividades que suceden alrededor de este tema. Sigue leyendo